Coreia do Norte dispara mísseis, diz Seul

Desde o início do ano, Pyongyang fez dois testes atômicos
 e dezenas de lançamentos de mísseis. 
Coreia do Sul presume que projéteis não identificados são mísseis superfície-navio.
A Coreia do Norte disparou "múltiplos" mísseis, informa nesta quinta-feira (horário local) a agência estatal da Coreia do Sul, Yonhap News, citando militares do país.
"A Coreia do Norte disparou nesta manhã múltiplos projéteis não identificados, presumidos como mísseis superfície-navio, a partir da vizinhança de Wonsan, na província de Gangwon", afirmou o Estado Maior Conjunto (JCS). O comunicado afirma que o disparou foi imediatamente comunicado ao presidente sul-coreano Moon Jae-in.
Este foi o quarto teste de mísseis realizado pelo regime comunista nas últimas cinco semanas, desafiando as advertências da ONU e as ameaças dos Estados Unidos quanto a uma possível resposta militar.
Desde o início do ano, Pyongyang fez dois testes atômicos e dezenas de lançamentos de mísseis. O líder norte-coreano Kim Jong Un supervisionou vários dos exercícios militares, incluindo disparos de mísseis balísticos.
Na semana passada, Pyongyang fez um teste de míssil balístico que disse ter sido bem sucedido. Pouco depois, os EUA e o Conselho de Segurança da ONU aprovaram novas sanções contra empresas e funcionários do país. Recentemente, os EUA testaram um interceptador de míssil a partir de uma base na Califórnia para simular a derrubada de um míssil balístico intercontinental.
'Grande preocupação'
Nesta quarta, o chefe da Agência de Defesa Contra Mísseis dos Estados Unidos, o vice-almirante James Syring, disse que avanços tecnológicos demonstrados pela Coreia do Norte em seu programa de mísseis balísticos nos últimos seis meses causaram “grande preocupação” ao país.
Syring disse durante uma audiência do Comitê de Serviços Armados da Câmara dos Deputados dos EUA que cabia à sua agência assumir que a Coreia do Norte atualmente pode “alcançar” os Estados Unidos com um míssil balístico intercontinental carregando uma ogiva nuclear.
A Coreia do Norte segue tentando desenvolver tecnologia de mísseis de longo alcance capaz de chegar a território americano, bem como uma ogiva nuclear suficientemente compacta para ser armada em um míssil.

Por G1
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE