Rio das Ostras: A arte por trás das Ruínas

              Nada mais daquilo tudo.  Foto: Maria Baigur
Uma nova exposição no Ateliê Casa
Uma exposição sobre ruínas, onde qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Será? Uma exposição que traz uma esperança aos espectadores. No dia 24 de junho, às 19h, o Ateliê Casa, em Rio das Ostras, abre “Ruínas – a fissura no escombro”, com a participação de 18 artistas atuantes no cenário carioca e curadoria de Áureo Guilherme Mendonça – Professor Associado da UFF/Rio das Ostras do Curso de Produção Cultural (Teoria e Crítica de Arte). A mostra faz parte do projeto O Artista Convida, onde os participantes dialogam com 1 ou 2 artistas de Rio das Ostras. A convidada desta edição é Giovana Agostini – professora de história da arte na Fundação Rio das Ostras de Cultura. A ideia é interiorizar a produção de arte contemporânea do Rio, criar tradição em artes visuais e dinamizar a cena cultural local além de estimular a produção artística. Apoio do Estúdio Lupa de Fotografia.
São cerca de 30 obras, entre fotografia, gravura, pintura, vídeo e performance, que abordam o tema ‘ruínas’. Cada artista com a sua técnica própria e sensibilidade. Amanda Nakao trata da questão da mulher, com a fotografia ‘Rugido Uterino’; Jaime Acioli apresenta a série ‘M.A.R’ sobre a construção Museu de Arte do Rio; Pedro Amorim apresenta o trabalhador rural com a obra ‘Ruínas da Casa Grande’; Raphael Couto repete a performance que realizou no MAC Niterói, Corpo Catálogo; Maria Baigur – vencedora da II Edição do Prêmio Reynaldo Roels Jr. participa com a fotografia ‘Nada mais daquilo tudo’ ... “Uma exposição abrangente, rica, instigante e plural nas linguagens que apresenta, promete levar o público a uma viagem entre ruínas e escombros, mas com possíveis saídas e soluções”, afirma Sílvia Neves, artista e coordenadora do Ateliê Casa, juntamente com Alexander Fleming – especialista em gestão de projetos.
"É possível afirmar que o mundo hoje é uma grande ruína? Há quem diga que nunca uma ruína representa a perda total, a menos que tivesse uma catástrofe total, o que não representa o cenário contemporâneo. O olhar do artista, que se espreita na fissura dos nossos escombros, é capaz de enxergar mundos que se revelam como desafios ao status quo. Especialmente a fotografia tem esse poder especular, de nos fazer ver o invisível e transtornar nossa tendência ao bom senso e, assim, revigorar nossas perdidas utopias”, explica Áureo Guilherme.
“Ruínas – a fissura no escombro” com individualidade de cada artista, com a sua vivência e a sua trajetória, mas mostrando a beleza por trás das ruínas. A beleza proveniente da arte. “Dessas ruínas brotam inesperadas plantas que se bem regadas poderão mudar todo o cenário e fazer renascer uma nova Troia, mais humana e com um senso de justiça que respeite nossas diferenças. A arte pode soterrar de vez as Troias que ultrapassaram os limites de respeito ao outro, apontando uma nova vida, altiva e sincera, com trocas de produtos e ideias em um circuito que tem a liberdade como princípio e a humanidade como epicentro da construção de seus valores”, finaliza o curador.
A exposição apresenta uma nova vida pela fissura das ruínas. Em cada artista, em cada obra, o público vai poder observar isso.
Artistas participantes:
Alex Araripe, Amanda Nakao, Adriana Nataloni, Bet Katona, Daniele Cukierman, Denise Teixeira, Ellen Dobrowolski, Giovana Agostini, Jaime Acioli, MarQo Rocha, Maria Baigur, Marta Bonimond, Paula Gualberto, Pedro Amorim, Reitchel Komsch, Raphael Couto, Roberto Jesus Oscar, Rona e Silvia Neves.
Mais sobre o Ateliê Casa:
O Ateliê Casa Residência é um ponto de arte contemporânea com ênfase na pesquisa, produção e exposição de arte visual. É focado em atividades educativas na forma de workshops, palestras, oficinas e exposições e possui uma parceria com a Universidade Federal Fluminense em pesquisas e projetos na área de Produção Cultural. Trata-se de um espaço de referência na cena artística de Rio das Ostras, estabelecendo vínculos com outros polos artísticos no país e no exterior, por meio de residências e atividades pedagógicas. Também é um local de reunião para artistas e interessados em arte contemporânea. Desde 2016, promove, além de residências artísticas, exposições em sua galeria com projetos que visam dinamizar a cena cultural da cidade com um diálogo entre artistas do Circuito do Rio e artistas emergentes locais. O Ateliê, que tem a primeira galeria de arte da cidade de Rio das Ostras fora da esfera pública é coordenado pela artista visual Silvia Neves e pelo Especialista em Gestão de Projetos Alexander Fleming. “Ruínas – a fissura nos escombros” é a segunda exposição do ano. A primeira, “Intersubjetividades”, foi sucesso e movimentou o cenário artístico da cidade.
Serviço:
Exposição “Ruínas – a fissura no escombro”
Curadoria de Áureo Guilherme Mendonça
Abertura: dia 24 de junho de 2017, sábado, às 19h
Em cartaz até 24 de agosto de 2017
Local: Ateliê Casa Residência
Endereço: Rua Elba de Pádua Lima, 404 - Balneário Remanso
Visitação: de terça a sábado, das 11h às 19h
Entrada gratuita
Assessora de Imprensa: Bárbara Chataignier (21) 99738-1243 – bchataignier@gmail.com
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE