Petrobras confirma mais dois incidentes na P-32 e P-35 na Bacia de Campos, após explosão com três mortes em navio sonda

Explosão que deixou três mortos ocorreu no navio NS-32 (Norbe VIII),
 na Bacia de Campos (Foto: Odebrecht/Divulgação)
Segundo a empresa, não houve feridos em ambos os casos.
Após a explosão de uma caldeira de máquinas do navio sonda deixou três mortos, a Petrobras confirmou mais dois incidentes no Campo de Marlim, na Bacia de Campos, nesta segunda-feira (12). De acordo com a empresa, a proteção de segurança de uma escada se desprendeu no convés da plataforma P-32 na madrugada de sexta (10). Já no domingo (11), houve um princípio de incêndio às 22h28 na plataforma P-35. Não houve feridos em ambos os casos, ainda segundo a empresa.
Sobre o incidente do sábado (10), a Petrobras informou que "ele foi provocado pelas fortes rajadas de vento que ocorrem na região de operação da plataforma". Segundo a empresa, "o local do acidente foi isolado, e as providências para restabelecer o acesso estão sendo tomadas. O acesso por esta escada já estava interditado antes do ocorrido."
Também em nota, a Petrobras explicou que o princípio de incêndio ocorrido neste domingo "foi possivelmente causado por um vazamento de glicol, em alta temperatura, do sistema de regeneração do produto".
Ainda de acordo com a empresa, "o alarme de emergência foi acionado, e o princípio de incêndio foi debelado às 22h32 com uso de mangueira de incêndio. Não houve feridos e nem danos materiais, e a produção foi retomada pouco depois do incidente."
De acordo com o Sindipetro\NF, "apesar de ninguém ter sido ferido neste episódio da P-35, é preocupante e inaceitável essa sequência de acidentes ocorridos nos últimos dias, incluindo a explosão no, que levou a vida de três companheiros".
Ainda segundo o sindicato, houve uma intensificação, de uns tempos para cá do número de incidentes, mas são criadas comissões para investigação dependendo do nível de gravidade. No caso do acidente de sexta, um diretor do sindicato já está participando das investações e tendo acesso a todas as informações da apuração.
"A gente vai tomar algumas medidas para com a Petrobrás, pois embora as vítimas do acidente de sexta sejam de outro sindicato, a categoria ficou assustada. Ninguém quer embarcar e morrer. A gente luta por mais segurança. E essas mortes provam o sucateamento que a Petrobrás faz", diz Marcelo Nunes, coordenador da assessoria de comunicação do Sindipetro NF.
Segundo o sindicato, uma reunião será feita na noite desta segunda para discutir medidas imediatas a serem tomadas com os incidentes.
Segundo a Petrobras, "uma comissão será convocada para uma análise preliminar e outra comissão será constituída para investigar as causas e a abrangência do ocorrido".


Por Juan Andrade, G1, Macaé
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE