Maduro acusa EUA de pressionarem por 'intervenção global' na Venezuela

Maduro acusou EUA de pressionarem por 'intervenção global'
 na Venezuela (Foto: Miraflores Palace/Reuters)
O presidente venezuelano acusou o 'lobby' em Miami de promover um golpe de Estado contra ele, com o apoio de setores da oposição venezuelana.
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou na noite de terça-feira (21) que Washington pressiona para uma intervenção internacional em seu país, mas evitou apontar diretamente para o colega americano, Donald Trump.
"O Departamento de Estado tem ativado todos os embaixadores, particularmente na América Latina e Caribe, (...) pressionando todos os governos (...) para que apoiem uma intervenção global contra a Venezuela", disse Maduro em um conselho de ministros exibido pelo canal estatal VTV.
O presidente venezuelano acusou o 'lobby' em Miami de promover um golpe de Estado contra ele, com o apoio de setores da oposição venezuelana.
"Há um pote muito grande em Miami de quatro, cinco magnatas chantageando, porque eles dizem que vêm governar a Venezuela", disse Maduro.
As declarações do presidente aconteceram poucas horas depois de o Parlamento venezuelano, dominado pela oposição, ter aprovado um acordo que pede a "convocação imediata" do Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA) para avaliar a aplicação da Carta Democrática Interamericana no país, abalado por uma grave crise política e econômica.
O pedido do Parlamento ocorre após o secretário-geral da OEA, Luis Almagro, entregar ao Conselho Permanente, no dia 14 de março, um pedido de aplicação da Carta Democrática e da suspensão da Venezuela como membro da organização caso não aconteçam eleições em breve.
As eleições presidenciais estão previstas para dezembro de 2018, enquanto a de governadores - marcadas para dezembro passado - foram adiadas para 2017, em data a ser determinada.
"Estes que estimulam a vinda do império norte-americano para interferir nos assuntos da Venezuela, a intervir politicamente, a intervir economicamente, (...) são uns insensatos", disse Maduro.
Venezuela e Estados Unidos têm uma relação tensa e não possuem embaixadores desde 2010. Maduro, no entanto, tem evitado os confrontos com Donald Trump desde que o republicano tomou posse como presidente.

Por France Presse
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE