Cruz Vermelha diz que há janela de três meses para evitar fome em massa no Iêmen e na Somália

Saida Ahmad Baghili, de 18 anos, sofre de desnutrição severa.
A foto foi tirada no hospital da cidade de Hodeidah, no Iêmen,
em 24 de outubro (Foto: Abduljabbar Zeyad/ Reuters)
Estimativa da ONG aponta que há mais de 20 milhões de pessoas no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e no nordeste da Nigéria que enfrentam a fome.
O Comitê Internacional da Cruz Vermelha alertou nesta quarta-feira (22) que há uma janela de três a quatro meses para evitar fome em massa no Iêmen e na Somália, segundo a Reuters.
A estimativa da ONG aponta que há mais de 20 milhões de pessoas no Iêmen, na Somália, no Sudão do Sul e no nordeste da Nigéria que enfrentam a fome. "Provavelmente temos uma janela de três a quatro meses para evitar um pior cenário", afirmou o diretor de operações da Cruz Vermelha , Dominik Stillhart, em uma entrevista coletiva.
A estimativa de pessoas que passam fome feita pela Cruz Vermelha ainda é inferior a divulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para o Iêmen. Segundo a ONU, aproximadamente 17 milhões de cidadãos iemenitas, dois terços da população do país, necessitam de assistência urgente para evitar o risco de morrerem de fome nos próximos meses.
O Iêmen enfrenta atualmente a crise de fome mais grave do mundo, segundo as conclusões do relatório da ONU sobre Segurança Alimentar e Nutrição de Emergência de fevereiro de 2017, segundo a agência Efe.
O número de pessoas em risco de crise de fome no país aumentou 21% desde junho do ano passado e a situação de "emergência" alimentar ou de "crise" já afeta 20 das 22 províncias do país.

Por G1
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE