Hospital Pedro Ernesto, no Rio, reabre para novas internações e cirurgias

Hospital Universitário Pedro Ernesto volta
a receber internações
Hospital da Uerj estava funcionando parcialmente desde dezembro. Segundo diretor, salários de servidores foram pagos no início do ano.
O Hospital Universitário Pedro Ernesto volta a receber, nesta segunda-feira (13), novas internações e reabre suas enfermarias. A unidade estava funcionando parcialmente desde dezembro do ano passado, quando a crise do estado se agravou e funcionários ficaram sem seus pagamentos.
No começo do ano, o hospital só tinha 70 leitos funcionando, mas, a partir de agora, serão 180. Segundo o diretor da unidade, Edmar Santos, a expectativa é de que, até o fim de abril, será possível reabri todos os 350 leitos.
“O governo, em janeiro, parece que assimilou de uma forma definitiva a importância do hospital para a saúde do Rio de Janeiro, retomou os pagamentos do funcionalismo do hospital, que no momento se encontra em dia, e, com isso, a gente pode finalmente retomar esse crescimento do hospital. Vamos abrir as internações, remarcar novas cirurgias e ampliar consultas laboratoriais e exames”, explicou o diretor do Hospital Pedro Ernesto.
Durante o período que o hospital não estava funcionando totalmente, os servidores estavam sem receber e não havia insumos e medicamentos para o atendimento a pacientes. Em dezembro, a direção do hospital decidiu diminuir o número de atendimentos. Por causa do atraso no pagamento dos salários e do 13º e a falta de repasses para a unidade, internações e cirurgias que não eram de urgência foram canceladas.
Na época, foram fechadas várias enfermarias como as de cirurgia vascular, neurologia e oftalmologia. Houve também uma fusão de outras enfermarias que passaram a funcionar no mesmo local. Os setores de doenças contagiosas e pneumologia ficaram juntos, assim como clínica médica e neurologia, obstetrícia e pediatria e outras alas importantes.
O Hospital Universitário Pedro Ernesto é o hospital usado pelos estudantes de medicina da Uerj. A instituição de ensino passa pela pior crise da história e mais de 30 mil alunos estão sem aulas há seis meses. Pelas contas da reitoria, o governo do Rio deve R$ 350 milhões à universidade, dinheiro que não é repassado desde 2016.
Com o caixa em apuros, a Uerj ficou sem ter como pagar pela manutenção do campus. Em agosto, a reitoria decidiu suspender as aulas e a previsão era de que as aulas do segundo semestre de 2016 fossem retomadas em janeiro, mas como o dinheiro não veio, a previsão foi sendo adiada.

Por Bom Dia Rio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE