Niterói pede que União inclua municípios da Região Metropolitana em ações das Forças Armadas no RJ

Neves quer que Forças Armadas reforcem também a
segurança de Niterói e municípios vizinhos ao Rio
(Foto: Alessandro Buzas/Futura press/Estadão Conteúdo)
Prefeito Rodrigo Neves disse que enviou ofício nessa quarta-feira ao Ministério da Defesa e ao Governo do RJ. 'Segurança pública tem que ser olhada em seu conjunto', disse.
O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, pediu nesta quarta-feira (26) a inclusão do município no plano de ações das Forças Armadas, que irão atuar no estado do Rio até o fim de 2018. Ele encaminhou um ofício ao Ministério da Defesa, ao governo do estado e à Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro.
“Eu fiz um expediente hoje ao ministro da Defesa, ao governador e ao secretário de segurança formalizando a solicitação para que Niterói seja incluída no plano de ações das Forças Armadas de apoio na segurança pública do Rio. Fizemos isso porque a segurança pública tem que ser olhada em seu conjunto, principalmente na Região Metropolitana”, informou Neves em entrevista ao G1.
De acordo com o prefeito, Niterói passa por momentos difíceis na segurança pública nos últimos anos por causa de ações focadas na capital. Ele disse que a implantação das UPPs gerou uma migração da mancha criminal para a Baixada Fluminense e Região Metropolitana. Além disso, segundo Rodrigo Neves, a crise administrativa e financeira do estado do Rio foi um agravante para o aumento da violência.
“Nós já vimos que nos últimos 10 anos com ações de foco só no Rio, observamos uma migração da rede criminosa para a Região Metropolitana. Especialmente Baixada Fluminense, São Gonçalo, Itaboraí e Niterói. O fenômeno das UPPs causou um aumento na criminalidade em Niterói e a crise dos últimos dois anos é proveniente da crise fiscal e administrativa do estado. Por isso, em qualquer plano das forças armadas é necessário olhar em conjunto, sobretudo para a Região Metropolitana do Rio”, disse.
Ele contou também que conversou com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles e o governador em exercício, Francisco Dornelles. O prefeito de Niterói afirmou que percebeu uma “boa acolhida” em relação ao seu pedido e deve receber a resposta em alguns dias.
G1 entrou em contato com o Ministério da Defesa em relação ao ofício enviado pela Prefeitura de Niterói, mas até a publicação desta reportagem não recebeu resposta.
Rodrigo Neves afirmou ainda que está retirando quantias dos cofres municipais para amparar a segurança da cidade. “Nos últimos três anos investimos mais de R$ 100 milhões de recursos da prefeitura na segurança, apesar de ser uma competência da União e Estado. A prefeitura pagou o auxílio emergencial a todos os PMs, policiais civis e bombeiros lotados em Niterói. Estamos investindo R$ 1 milhão por mês no Proeis. Apesar de todos esforços, as ações foram insuficientes por causa do recrudescimento da criminalidade e aumento da crise”.
Roubos de carro dobram em 5 anos
Um levantamento do G1 com base nos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostrou que, na comparação dos cinco primeiros meses do ano, 2017 bateu recorde do número de roubos desde 2003, data do início dos registros: 3.249 casos foram relatados à Polícia Civil.
Os motoristas, em especial, estão em alerta e mudando hábitos para se protegerem. Do início de janeiro ao fim de maio, foram computados 824 casos de roubos de carro. O índice dobrou se comparado com o mesmo período de 2013, cinco anos atrás. Em média, cinco carros são roubados por dia na cidade.

Por Matheus Rodrigues, G1 Rio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE