Filho de Cabral foi o maior doador de campanha do secretário de Administração Penitenciária do RJ

favorecimento à família Cabral na cadeia.
Levantamento feito pela GloboNews mostra que Marco Antonio Cabral foi o principal financiador da campanha do Coronel Erir Ribeiro, candidato a deputado estadual em 2014.
O Secretário de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, recebeu doações do deputado federal Marco Antonio Cabral para sua candidatura a deputado estadual em 2014. Levantamento feito pela GloboNews mostra que o político, filho do ex-governador Sérgio Cabral Filho, preso em novembro, foi o principal financiador da campanha, contribuindo com quase tudo que foi arrecadado.
O Ministério Público investiga Erir Ribeiro por suspeita de favorecimento à família Cabral na cadeia. O secretário é responsável por todos os presídios do estado, incluindo Bangu 8, onde o ex-governador está preso. Ele teria autorizado visitas irregulares e até a entrada de uma ceia de natal para Adriana Ancelmo, mulher de Sergio Cabral. Somente Marco Antonio Cabral esteve 32 vezes com o pai no complexo de Bangu. Em 20, as visitas foram fora dos dias e horários permitidos.
Nas eleições de 2014, Erir Ribeiro se candidatou a deputado estadual pelo PSL, mas não teve sucesso. Recebeu 8.749 votos e não se elegeu. Segundo a prestação de contas feita ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a campanha arrecadou R$ 7,3 mil de três doadores. Um deu R$ 50, outro R$ 100 e Marco Antonio Cabral bancou a maior parte: R$ 7,1 mil.
Relação antiga
Erir Ribeiro é velho conhecido da família Cabral e de seus aliados. Foi comandante-geral da PM do Rio entre 2011 e 2013, durante a gestão do ex-governador. Exonerado pelo então secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, por dar uma polêmica anistia a policiais punidos administrativamente, voltou a ganhar um cargo. O governador Luiz Fernando Pezão, que foi vice de Cabral, nomeou o coronel para a Secretaria de Administração Penitenciária em março de 2015.
Sérgio Cabral está preso desde 17 de novembro do ano passado em Bangu 8, alvo da Operação Calicute, desdobramento da Lava Jato. As visitas são permitidas apenas duas vezes por semana: às quartas e sábados, de 9h às 16h.
Como mostrou levantamento da Globonews, no entanto, deputados estaduais usam a prerrogativa parlamentar para visitar o ex-governador fora do período permitido. Pelas normas da Secretaria de Administração Penitenciária, esse benefício deve ser usado apenas no exercício da função, ou seja, durante o trabalho. Ao todo foram 70 visitas. Quase metade feitas por Marco Antonio Cabral.
O deputado Marco Antonio Cabral afirma que os valores doados são relacionados a despesas com material de propaganda e não incluem a transferência de dinheiro ou outros bens. O político diz que fez parcerias eleitorais, ou "dobradinhas", com vário candidatos a deputado estadual nas eleições de 2014.
A parceria incluiria a confecção de material único para os candidatos a deputado estadual e federal e o compartilhamento de agendas de campanha de governador, senador e deputados da mesma coligação.
Erir Ribeiro afirma que na campanha de 2014 recebeu do deputado Marco Antônio Cabral apenas cartazes, placas e santinhos. Segundo o secretário, a verba de R$ 7.145, declarada na prestação de contas da campanha, foi recebida do partido PSL.

Por G1 Rio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE