EUA dizem ser hora de agir contra Coreia do Norte; China e Rússia pedem prudência

© REUTERS/Lucas Jackson Tillerson fala no Conselho
de Segurança da ONU
O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, disse nesta sexta-feira que não conter o desenvolvimento nuclear e de mísseis da Coreia do Norte pode levar a 'consequências catastróficas', enquanto China e Rússia advertiram os Estados Unidos a não ameaçar usar a força militar.
Recentemente Washington cobriu Pequim de elogios por seus esforços para conter sua aliada Pyongyang, mas o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, deixou claro ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que não depende só de seu país resolver o problema norte-coreano.
"A chave para solucionar a questão nuclear na península não está nas mãos do lado chinês", disse Wang ao organismo de 15 membros em comentários que contradisseram a crença da Casa Branca de que a China exerce uma influência significativa sobre o regime isolado.
A reunião ministerial do conselho, presidida por Tillerson, expôs antigas divisões entre os EUA e a China sobre a maneira de lidar com a Coreia do Norte. A China quer conversar primeiro e agir depois, enquanto os norte-americanos querem que Pyongyang freie seu programa nuclear antes do início de tais conversas.
"É necessário pôr de lado o debate sobre quem deveria dar o primeiro passo e parar de discutir sobre quem está certo e quem está errado", afirmou Wang ao conselho. "Agora é hora de cogitar seriamente retomar as conversas."
Tillerson respondeu: "Não iremos negociar nosso retorno à mesa de negociação com a Coreia do Norte, não iremos recompensar as violações de resoluções anteriores, não iremos recompensar seu mau comportamento com conversas".
A Coreia do Norte não participou da reunião.
Em sua primeira visita à ONU, o secretário dos EUA repreendeu o Conselho de Segurança por não implantar totalmente as sanções contra os norte-coreanos e disse que, se a entidade tivesse agido, as tensões resultantes de seu programa nuclear poderiam não ter se intensificado.
"Deixar de agir agora a respeito do tema de segurança mais premente do mundo pode trazer consequências catastróficas", afirmou.
Os EUA não estão pressionando por uma mudança de regime e preferem uma solução negociada, mas Pyongyang deveria desmantelar seus programas nuclear e de mísseis por iniciativa própria, disse.
"A ameaça de um ataque nuclear a Seul, ou Tóquio, é real, e é só uma questão de tempo para a Coreia do Norte desenvolver a capacidade de atacar o território continental dos EUA", argumentou o secretário.
Tillerson repetiu a posição do governo do presidente dos EUA, Donald Trump, de que todas as opções estão na mesa se Pyongyang persistir com seu desenvolvimento nuclear e de mísseis, mas Wang disse que ameaças militares não ajudam, e que o diálogo e as negociações são "a única saída".
Em entrevista à Reuters na quinta-feira, Trump disse que um "grande, grande conflito" com a Coreia do Norte é possível devido a seus programas nuclear e de mísseis.
O vice-chanceler da Rússia, Gennady Gatilov, alertou nesta sexta-feira que o uso da força seria "completamente inaceitável".

Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE