Polícia Civil do RJ deve R$ 82 milhões a agentes

A dívida da corporação com seus agentes foi revelada pelo chefe
da Polícia Civil, Carlos Augusto Leva, à Alerj na terça-feira (21). 
Levantamento apresentado à Alerj inclui RAS e 13º. Policiais estão em greve há mais de dois meses.Valor corresponde a cerca de 1/5 do que foi desviado por grupo ligado a Cabral, segundo o MPF.
Os atrasos salariais que tanto incomodam os policiais civis, citados para justificar a greve que dura mais de dois meses, resultam uma dívida da corporação com seus servidores equivalente a R$ 82 milhões. O valor corresponde a aproximadamente de 1/5 (20,5%) dos R$ 400 milhões que, segundo o Ministério Público Federal, foram desviados pelo grupo que seria liderado por Sérgio Cabral.
A dívida da corporação com seus agentes foi revelada pelo chefe da Polícia Civil, Carlos Augusto Leva, à Alerj na terça-feira (21). No mesmo dia, o MPF fez uma cerimônia com membros da Justiça para devolver parte do valor que teria sido desviado por Cabral. O recurso, R$ 250 milhões, foi utilizado para o pagamento do 13º salário de 146 mil aposentados e pensionistas de 2016.
Dívida com policiais civis
A maior parte dos R$ 82 milhões devidos aos policiais civis vêm do décimo terceiro: mais de R$ 68 milhões.
O restante do valor corresponde ao Regime Adicional de Serviço (RAS), R$ 5,9 milhões, e ao Sistema Integrado de Metas (SIM), R$ 8 milhões, respectivamente.
O RAS, de acordo com Leba, estaria atrasado desde agosto, mas o mês de setembro já havia começado a ser pago.
O levantamento apresentado pelo chefe da Polícia foi feito em encontro da comissão de segurança pública sobre a crise vivida pela corporação.
As entidades de classe da Polícia Civil criticaram o que chamam de "sucateamento" da Polícia Civil. Além dos salários, eles se queixam do pouco investimento em treinamento e equipamentos.
"Todo dia nós lemos uma tragédia nos jornais por conta do sucateamento da polícia civil. Ao longo dos anos e dos governos, tem-se investido pouco em polícia judiciária e mais em medidas que possam ter mais efeito eleitoreiro, como colocar uma viatura na rua e fazer o cidadão achar que é um investimento em segurança pública", afirmou o presidente do sindicato dos policiais civis, Rafael Barcia.
Na ocasião, o secretário de segurança, Roberto Sá, afirmou que não havia um cronograma que estipulasse o pagamento dos atrasos.
"Esse calendário só poderá ser anunciado à ordem do governo do estado ou pela secretaria de Fazenda, quando nos der essa garantia", disse ele. "A reivindicação dos senhores é a nossa e chega ao governador constantemente".

G1 Rio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE