Secretário-geral da OEA e Leopoldo López clamam por retorno urgente da democracia na Venezuela

Leopoldo López comemora com bandeira da Venezuela
 no sábado (8) em sua casa em Caracas (Foto: Juan Barreto/AFP)
Luiz Almagro telefonou a líder oposicionista venezuelano que cumpre prisão domiciliar. Dupla diz que Assembleia Constituinte de Maduro representa ‘desmantelamento final’ da democracia no país.
O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, Luis Almagro, e o líder da oposição venezuelana Leopoldo López, concordaram na necessidade urgente de “trabalhar pelo retorno da democracia na Venezuela e pela recuperação dos direitos do povo venezuelano”.
Segundo um comunicado da OEA, Almagro telefonou nesta quarta-feira (12) para López, que cumpre prisão domiciliar depois de ser transferido de uma prisão militar no último sábado.
Durante a conversa, os dois também discutiram a “necessidade urgente” de cessar a repressão no país, publicar um calendário eleitoral completo, restaurar completamente os poderes da Assembleia Nacional e libertar todos os prisioneiros políticos, incluindo nesse ponto a libertação completa do próprio Leopoldo López, preso há mais de três anos.
Os dois expressaram ainda preocupação em relação à manutenção da Assembleia Nacional Constituinte convocada pelo presidente Nicolás Maduro, cujas eleições serão realizadas no dia 30 de julho. O Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela considerou que o chefe de Estado exerce 'indiretamente' a soberania popular e deu a ele o poder de convocar a assembleia sem consulta prévia em referendo.
Ainda assim, a oposição venezuelana convoca a população para uma votação em um plebiscito simbólico no próximo domingo, 16 de julho. A importância desse ato também foi discutida no telefonema, segundo a OEA. Para Almagro e López, a nova Constituinte de Maduro representaria “o desmantelamento final da democracia” na Venezuela.
Prisão domiciliar
Leopoldo López deixou a prisão militar de Ramo Verde no sábado (8). O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela confirmou a prisão domiciliar, e disse que a concessão foi feita por causa de problemas de saúde de López. O pai do líder político disse que ele agora usa uma tornozeleira eletrônica e declarou que a família toda está "muito feliz".
López, de 46 anos, foi preso há mais de três anos durante os protestos exigindo a renúncia de Maduro, que deixaram 43 mortos entre fevereiro e maio de 2014. Ele foi condenado em 2015 a quase 14 anos de prisão sob a acusação de "incitação à violência".
Visita de Zapatero
Nesta quarta, o ex-chefe do governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero visitou López em sua casa em Caracas.
"Ex-presidente Zapatero visita Leopoldo López em casa. Leopoldo López transmitindo mensagem firme da luta pela liberdade de toda a Venezuela", anunciou no Twitter Freddy Guevara, vice-presidente do Parlamento venezuelano, controlado pela oposição.
Guevara destacou que López também conversou por telefone nesta quarta com o chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, além de Luis Almagro da OEA.

Por G1
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE