Moro "cutuca" empresário que disse que não prejudicou a Petrobras: "propina não é justificável"

© Lula Marques / AGPT InfoMoney
SÃO PAULO - Diversas vezes durante as audiências com os advogados de Lula, o juiz federal Sérgio Moro mostrou que sabe dar uma "cutucada" quando é necessário. Desta vez, o magistrado rebateu o empresário Milton Schahin, do Grupo Schahin.
Em depoimento, o empresário confirmou que pagou US$ 2,5 milhões em propinas ao operador Jorge Luz. Nas considerações finais de seu depoimento, Milton, que é réu na ação, disse que sua conduta não prejudicou a Petrobras.
"Gostaria de dizer em síntese que não dei nenhum prejuízo para a Petrobras, continuei fazendo meu trabalho com boa performance. Atestado pela própria fiscalização da Petrobras. E estou fazendo esse trabalho de forma correta. A própria Petrobras reconhece que não houve superfaturamento", afirmou o empreiteiro.
Neste momento, Moro não se conteve e interrompeu a fala: "Certo senhor Milton, mas pagar propina para os agentes não era justificável". O empresário decidiu insistir em sua defesa: "Como eu lhe disse excelência, sinto que não prejudiquei a Petrobras". “Tá bom senhor Milton”, encerrou Moro de forma direta e irônica.

Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE