Governo admite problema dentro do PMDB

© Foto: Agência Brasil
BRASÍLIA - Apesar do cenário aparentemente favorável para vencer a denúncia na Câmara, o governo reconhece que “problemas” dentro do próprio PMDB ainda precisam ser resolvidos. Nesta quarta-feira, 26, apesar de críticas de peemedebistas, o presidente Michel Temer voltou a mostrar que pretende agradar à bancada do Rio, repassando à capital do Estado recursos para o carnaval de 2018, cortados pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB-RJ).
O novo ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, anunciou, após reunião no Palácio do Planalto, que será formado um grupo de trabalho para estudar a ajuda ao carnaval carioca – o Rio pediu R$ 13 milhões para a viabilização do evento.
O deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), que era considerado indeciso na votação na Câmara e liderou o movimento de reivindicação para o carnaval carioca, esteve nesta quarta-feira com Temer e com uma comissão de escolas de samba. Seu voto, agora, já está sendo computado como a favor da derrubada da denúncia contra o presidente. Oficialmente, no entanto, o parlamentar do PMDB diz que ainda está analisando o assunto.
Até a votação, Temer e seus ministros trabalharão todos os dias na busca de votos. Segundo o Planalto, a ideia é que os “ministros-deputados” sejam exonerados de seu cargos e retornem à Câmara para votar pelo arquivamento da denúncia.
Outros partidos. O Podemos tem 15 deputados e sete deles dizem que estão indecisos. Dos demais, cinco são a favor do encerramento da denúncia e três são contra Temer. No caso do PSDB, que tem quatro ministros e tem ameaçado romper com o Planalto, a avaliação é de que metade da bancada votará com o governo.

Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE