Empresas de ônibus do interior do Rio se mostram surpresas com prisão de sócio Jacob Barata Filho

PF prende Jacob Barata Filho no aeroporto do Galeão
Reprodução
Empresário tem participação em viações nas regiões dos Lagos e Serrana.
Empresas de ônibus do interior do Rio de Janeiro se mostraram surpresas com a prisão pela força-tarefa da Lava Jato de Jacob Barata Filho,um dos maiores empresários do ramo, na noite de domingo (2).
Por meio de nota, as empresas de Teresópolis, Petrópolis e Cabo Frio falaram ao RJ Inter TV 2ª Edição desta segunda-feira (3) sobre a ligação com o empresário. Jacob é sócio cotista em empresas das regiões dos Lagos e Serrana. Ele foi detido após indícios de que pagou milhões de reais em propina para políticos do Rio.
Em nota, a Auto Viação Salineira e Viação Montes Brancos, que funcionam na Região dos Lagos, informaram "que a Guanabara Participações Empreendimentos Imobiliários, de Jacob Barata, é sócia cotista minoritária com 19% das empresas". Segundo elas, "a Guanabara não tem participação na gerência". Elas informaram ainda que "estão surpresas com a prisão, pois nunca tiveram nenhuma informação que desabonasse a conduta de Jacob Barata Filho."
Em Teresópolis, na Região Serrana do Rio, as empresas de ônibus Dedo de Deus, 1º de Março e 19 de Janeiro informaram que Jacob Barata Filho também tem 19% de sociedade e que não tem gerência sobre elas. Todas as empresas afirmaram estar surpresas com as investigações e com a prisão do empresário.
A equipe de reportagem do RJ Inter TV também entrou em contato com a empresa Única, que atua em Petrópolis, mas ainda não teve retorno.
Em nota, a defesa de Jacob Barata Filho disse que vai se pronunciar quando tiver acesso aos autos do processo. A Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) informou, também em nota, que colabora com a polícia e está à disposição da Justiça para os esclarecimentos.
A prisão
A Polícia Federal prendeu na noite de domingo (2) Jacob Barata Filho, um dos maiores empresários do ramo de ônibus do Rio de Janeiro. Ele foi preso no Aeroporto Internacional Tom Jobim pela força-tarefa da Lava Jato ao tentar embarcar para Lisboa, Portugal.
O empresário já estava na área de embarque e foi levado para a Superintendência da PF, na Zona Portuária do Rio, após passar pelo Instituto Médico Legal (IML) na madrugada desta segunda-feira (3). Ele não quis falar com a TV Globo na saída do local.
O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, com base em investigações do Ministério Público Federal e da Polícia Federal. A força-tarefa encontrou indícios de que o empresário pagou milhões de reais em propina para políticos do Rio.
A PF estava monitorando o empresário e antecipou a prisão, que aconteceria nos próximos dias. Ela foi informada que Jacob embarcaria para Portugal com passagem só de ida. Em nota, a defesa de Barata nega a informação e diz que a passagem de volta estava comprada.
Jacob Barata, pai do empresário preso, atua no ramo dos transportes de ônibus no Rio de Janeiro há várias décadas. Ele é conhecido como "Rei do Ônibus" e é fundador do Grupo Guanabara, do qual Jacob Barata Filho também é um dos gestores.

Por RJ Inter TV, Cabo Frio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE