Caso de febre amarela em Macaé é a décima vítima confirmada no estado do Rio

Segundo a Prefeitura, ela fez uma visita à Cachoeira Pai João,
em Casimiro, e, uma semana depois, teria apresentado os
sintomas da doença. Foto: Angel Morote
Vítima é moradora de Macaé e teria contraído a doença em uma cachoeira de Casimiro de Abreu. 
O décimo segundo caso de febre amarela foi confirmado no Estado do Rio de Janeiro. A informação foi divulgada na tarde desta segunda-feira (8) em um boletim da Secretaria de Estado de Saúde. A vítima é uma mulher de 42 moradora de Macaé, de acordo a Prefeitura do município. Ela chegou a dar entrada no hospital, mas recebeu alta e está em casa desde o dia 18 de abril.
De acordo com o município, a vítima é moradora de Cachoeiros de Macaé, que fica no limite com Casimiro de Abreu. Segundo a Prefeitura, ela fez uma visita à Cachoeira Pai João, em Casimiro, e, uma semana depois, teria apresentado os sintomas da doença.
Segundo o município, ela deu entrada em um hospital de Casimiro de Abreu no dia 9 de abril e foi transferida para Hospital Público Municipal (HPM). No dia seguinte, foi encaminhada ao Hospital São Sebastião, no Rio de Janeiro, onde foi tratada.
Ainda de acordo com a Prefeitura, uma nova estratégia no combate à doença vai ser iniciada nesta terça-feira (9) na região rural. Segundo o município, cerca de 175 mil pessoas já foram vacinadas na cidade.
Com a nova confirmação, o número de registros de febre amarela sobe para 12 no Estado do Rio. São sete casos em Casimiro de Abreu, com uma morte; um caso em São Fidélis; outro de um morador de São Pedro da Aldeia, que contraiu a doença em viagem à zona rural de Casimiro de Abreu; um registro, com óbito, de um morador em Porciúncula e uma morte pela doença em Maricá.
Início do surto
Os primeiros dois casos de febre amarela foram identificados em Casimiro de Abreu no dia 15 de março. O pedreiro Watila Santos, 38, morreu pela doença. A secretaria de Estado de Saúde disse que todos foram contraídos na zona rural da cidade.
Após as primeiras confirmações em Casimiro, uma corrida foi iniciada para a imunização dos moradores. Um Hospital de Campanha chegou a ser montado e agilizou o atendimento.
A febre amarela silvestre é transmitida por mosquitos (Haemagogus e Sabethes) que vivem nas matas e na beira dos rios, porém, o vírus é igual ao da febre amarela urbana, com os mesmos sintomas e evolução da doença.

Por G1, Macaé
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE