Aulas na Uerj são retomadas, mesmo com calendário de pagamento atrasado

Uerj volta às aulas nesta segunda-feira (10)
 após paralisação de três meses
Professores da universidade estão com dois meses se salários atrasados e não receberam ainda o 13º.
Com o calendário atrasado, as aulas na Universidade Estadual do Rio de Janeiro e no Colégio de Aplicação da Uerj (CAp-Uerj) foram retomadas na manhã desta segunda-feira (10). Na última sexta-feira (7), o Fórum de diretores da Uerj decidiu sobre a volta às aulas na universidade e no colégio por considerarem avanços no serviço de limpeza, de manutenção dos elevadores, segurança. Mesmo assim, um outro problema ainda não foi resolvido: o calendário para o pagamento dos professores, dos técnicos e dos bolsistas.
Ainda sem terminar o ano letivo de 2016, muitos estudantes continuam na expectativa de que as aulas não sejam interrompidas, apesar de apoiarem a causa dos professores e funcionários da Universidade. De acordo com a diretora do CAp-Uerj, Maria Fátima, os servidores estão com dois meses de salários atrasados e ainda não receberam o 13º. Os técnicos permanecem em greve e segundo ela, o trabalho deles é essencial para que a universidade funcione completamente.
“Nós queremos muito atender a todos, fazer a nossa missão de oferecer o ensino, mas essa situação está muito grave, muito preocupante e a gente espera que o governo restabeleça essas condições salariais”, afirmou a diretora do CAp-Uerj.
A estudante de engenharia ambiental e sanitária Camila Corrêa, de 21 anos, é bolsista da universidade e conta com um auxílio de R$ 450 que continua atrasado. Hoje, a jovem que se mudou de São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos, para morar em uma república perto da Uerj conta com a ajuda dos pais enquanto o governo não normaliza a situação dos pagamentos.
"A gente recebeu a [bolsa] de janeiro no final de março. Os meus pais me ajudam, mas é difícil. Estou com medo que volte e pare de novo. tem paralisaríamos. Eles querem voltar, mas em más condições não dá.
Para Daiane Barbosa, de 22 anos, aluna do curso de biologia, a situação da Uerj, nesse contexto, é desmotivante. "É muito frustrante, é desmotivante, porque a gente vê os recursos, a estrutura que a universidade dá pra gente, porque a gente fica na mão de lideranças que não estão nem aí", lamentou.
De acordo com a estudante, a situação de atraso na volta às aulas da Uerj fez com que muitos estudantes mudassem de planos. "Muita gente saiu e foi pra universidade particular. A gente abdica muito pra estar aqui, desde antes do vestibular pra entrar aqui, pra mudar toda vida. O nosso sentimento é de querer voltar, mas não tem como fechar os olhos pra condição deles [dos professores]", disse Daiane.
Ainda na tarde desta segunda-feira, os professores da Uerj farão uma assembleia para decidir se vão entrar ou não em greve por causa da falta desse calendário de pagamentos.
Inicialmente, as aulas na Uerj deveriam ter começado no dia 17 de janeiro, mas foram adiadas sucessivamente devido às condições precárias das unidades, que estavam sem serviços de manutenção e limpeza.

Por G1 Rio
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE