PT e Rede entram com ações no STF contra a terceirização

© André Dusek/Estadão Parlamentares da oposição protestaram
 durante a sessão que aprovou, na quarta-feira, 22, a terceirização
 irrestrita no serviço público e privado
BRASÍLIA - O PT e a Rede entraram nesta segunda-feira, 27, com dois mandados de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) impedir que o presidente Michel Temer sancione projeto que permite a terceirização no País.
A proposta, que foi aprovada na semana passada pela Câmara, prevê a terceirização para todas as atividades da economia e tem sido criticada pelas centrais sindicais.
Nas peças, os dois partidos argumentam que o projeto, que é de 1998, não poderia ter sido colocado em votação porque, em 2003, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva enviou um pedido para que o projeto fosse retirado da pauta do Congresso.
Para o líder do PT, deputado Carlos Zarattini (SP), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não poderia ter levado o projeto a votação ao plenário sem, antes, ter deliberado sobre o requerimento enviado por Lula.
Nas ações, PT e Rede pedem que, enquanto a questão não seja julgada pelo plenário da corte, o ministro relator conceda uma liminar para suspender a tramitação do projeto.
Na sexta-feira, o deputado André Figueiredo (PDT-CE) já havia entrado com um mandado de segurança no Supremo contra a aprovação do projeto. As ações ficarão sob a responsabilidade do ministro Celso de Mello.

Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

RIO DAS OSTRAS 25 ANOS

PATROCINADOR

PUBLICIDADE