Silva Jardim investiga morte de idoso que se vacinou contra a febre amarela

Segundo a secretaria de Saúde, o idoso é morador do bairro
Mato Alto. De acordo com o município, ele tinha recebido a
 autorização médica para ser imunizado contra a febre amarela.
Foto: Divulgação
Segundo a Prefeitura, exames preliminares apontaram morte pela doença.  Novos exames foram solicitados para uma comprovação definitiva.
Silva Jardim, no interior do Rio, está investigando a morte de um idoso que se vacinou contra febre amarela. Segundo a Prefeitura do município, o homem de 60 anos foi vacinado contra a doença, mas, no dia 30 de março, morreu após ter complicações. De acordo com a secretaria de Saúde da cidade, os exames preliminares feitos pelo Laboratório Central Noel Nutels (Lacen) apontaram que o idoso estava com febre amarela. O resultado foi divulgado na tarde de sexta-feira (31).
 De acordo com a Prefeitura, novos exames foram solicitados para uma comprovação definitiva da causa da morte. Se confirmado, este será o primeiro caso de febre amarela em Silva Jardim e o 10° no Estado. 
Segundo a secretaria de Saúde, o idoso é morador do bairro Mato Alto. De acordo com o município, ele tinha recebido a autorização médica para ser imunizado contra a febre amarela, já que pessoas acima de 60 anos precisam apresentar laudo médico. Isso porque o risco de desenvolver uma doença semelhante à febre amarela é maior após a imunização. 
Silva Jardim começou a vacinação contra febre amarela no dia 15 de março, com a aplicação de mais de 19 mil doses para a população. A cidade fica a cerca de 37 km de Casimiro de Abreu, onde foram confirmados pelo Governo do Estado sete casos da doença.
Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde informou que todos os casos notificados suspeitos de febre amarela estão sendo investigados.
O início
Os primeiros dois casos de febre amarela foram foram identificados em Casimiro de Abreu no dia 15 de março. A secretaria de Estado de Saúde disse que todos foram contraídos na zona rural da cidade.
Após as primeiras confirmações em Casimiro, uma corrida foi iniciada para a imunização dos moradores. Um Hospital de Campanha chegou a ser montado e agilizou o atendimento.
Até agora, são nove casos de febre amarela em todo o Rio de Janeiro: sete em Casimiro de Abreu, onde uma pessoa morreu, um em São Fidélis e um em São Pedro da Aldeia, na Região dos Lagos (ele adquiriu a doença em uma área rural de Casimiro de Abreu).
A febre amarela silvestre é transmitida por mosquitos (Haemagogus e Sabethes) que vivem nas matas e na beira dos rios, porém, o vírus é igual ao da febre amarela urbana, com os mesmos sintomas e evolução da doença.

Do G1 Região dos Lagos
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE