Assistência Social Especializado apoia famílias vítimas de violência em Rio das Ostras


Equipe técnica multiprofissional especializada para a oferta
de serviços é composta por assistentes sociais, psicólogos,
advogado, pedagogo e orientadores sociais.
(Fotos: Mauricio Rocha / Arte ROJO
A partir de agora, também a mulher vítima de violência doméstica passa a ser acompanhada no Creas.

Com 439 casos em atendimento, o Centro Especializado de Assistência Social (Creas) de Rio das Ostras se destina ao acompanhamento de famílias e indivíduos que tiveram seus direitos violados. Entre esses, crianças, adolescentes, idosos e moradores de rua. A partir de agora, também a mulher vítima de violência doméstica passa a ser acompanhada no Creas, assegurando a sua proteção integral e a inserção dos seus familiares nos serviços oferecidos.

“O acompanhamento da mulher vítima de violência vai se estender à família, sempre com a garantia de sigilo no atendimento. Continuaremos realizando o trabalho de articulação com a rede, na perspectiva de proteção dessa mulher e de seus familiares”, explica a secretária de Bem-Estar Social, Elizabeth Bousquet.

Com uma equipe técnica multiprofissional especializada para a oferta de serviços composta por assistentes sociais, psicólogos, advogado, pedagogo e orientadores sociais, o Creas conta com o Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (Paefi).

Adolescentes cumprindo medidas socioeducativas, crianças que sofreram abusos, maus-tratos ou negligência, idosos vítimas de violência física e psicológica ou abuso financeiro são atendidos no Creas. No local também é feito o acompanhamento a moradores de rua por meio de oficinas psicossociais, encaminhamentos para obtenção de documentos e inserção no mercado de trabalho, sempre visando o fortalecimento da cidadania.

Na Cidade ainda existe um abrigo para moradores de rua, a Casa Sorriso, que funciona graças a uma parceria da Secretaria de Bem-Estar Social com as igrejas evangélicas e católica. “Disponibilizamos o prédio, materiais e profissionais técnicos, enquanto as igrejas são responsáveis pelo fornecimento de refeições e o acolhimento aos abrigados”, afirma Elizabeth Bousquet.


Os atendidos pelo Creas são encaminhados pelo Ministério Público, Judiciário, Delegacia de Polícia, Disque 100 (para denúncia de violência), Conselho Tutelar, Políticas Públicas Intersetoriais ou chegam por demanda espontânea. O endereço é Rua Araguaia, 150, Balneário Remanso e o telefone para informações, 2771-6409.
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE