Pronto Atendimento e Observação Pediátrica do HPM recebem brinquedotecas

Crianças que estão sendo atendidas no HPM agora contam
 com mais dois espaços lúdicos. Fotos: Divulgação
As crianças que estão sendo atendidas no Hospital Público Municipal de Macaé (HPM) agora contam com mais dois espaços lúdicos, que ajudam a passar o tempo durante os procedimentos médicos. Coordenadas pela equipe da Classe Hospitalar, duas brinquedotecas já estão funcionando no setor de Pronto Atendimento e na Observação Pediátrica, no anexo Irmãs do Horto. O projeto é uma parceria da Secretaria de Educação com o HPM, e já está fazendo sucesso entre os pequenos pacientes.

Pai da pequena Laila, de quatro anos, o pedreiro Luciano Sampaio, aprovou o novo espaço. “Estamos aguardando o resultado de um exame de sangue, e foi bom ela ter um espaço para brincar e ajudar a passar o tempo”, afirmou. No espaço, as crianças contam com brinquedos diversos, gibis e livrinhos. A equipe está aceitando doações de material usado, mas em bom estado, que pode ser entregue na sede da Secretaria de Educação, no setor de Serviço Social.

- Na Classe Hospitalar, o atendimento é mais direcionado para os conteúdos pedagógicos. A equipe do HPM sentiu a necessidade das binquedotecas, pois nos dois espaços as crianças geralmente têm que ficar aguardando e ficam entediadas. No Pronto Atendimento, a espera é por resultados de exames e outros procedimentos, que geralmente levam de duas a três horas. Já na Observação, a criança pode ficar internada por até dois dias, explica a professora Clize Vantil, que atua na Classe Hospitalar.

Em paralelo, a Classe Hospitalar continua funcionando no setor de Pediatria. O espaço atende crianças na faixa de dois a 13 anos, que estão passando por um período de internação. Com o objetivo de assegurar o direito de aprendizagem das crianças e adolescentes o programa se consolidou na região por também contribuir para reintegração à escola após alta do hospital.

A equpe é formada pelas professoras Clize Vantil, Zilma Azeredo, Priscilla Martins, Dilma Amaral e Luana Alvim, além das auxiliares de serviços escolares Elian Dias e Rita Luziê.

A Classe Hospitalar procura atuar sempre em parceria com as escolas, trabalhando com as crianças os conteúdos dados em sala de aula e até mesmo aplicando testes, caso seja necessário. Para as crianças menores, o trabalho é mais lúdico e envolve também as mães, que recebem orientações sobre saúde,cuidados com a alimentação, higiene e qualidade de vida. A Classe Hospitalar tem como objetivo dar continuidade aos estudos e melhorar a adaptação dos pacientes hospitalizados.

Com o projeto, a rede municipal atende ao Conselho Nacional de Educação, que prevê o atendimento educacional à crianças em tratamento de saúde, que implique internação hospitalar. O município também segue as determinações do Ministério da Educação (MEC), que indica a ação integrada entre os sistemas de ensino e saúde, por meio das classes hospitalares, na tentativa de dar continuidade ao processo de desenvolvimento e aprendizagem.
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE