Parentes de PMs saem de Rio das Ostras para ato no batalhão de Macaé; policiamento é normal

"As pessoas estão confundindo a nossa luta. A nossa luta não
é só pelo 13º [salário]. A nossa luta é para o governo honrar
o policial", afima uma manifestante.
Fotos:  Facebook Rio das Ostras Jornal
Parentes afirmam que o ato de protesto é por toda a corporação.
Um  grupo de parentes de policiais militares se deslocou da 3ª Cia da Polícia Militar em Rio das Ostras para a frente do 32ª Batalhão de Polícia Militar em Macaé, na Região dos Lagos do Rio, na tarde desta sexta-feira (10).
Os manifestantes acreditam que o movimento terá mais força em Macaé, já que a companhia em  Rio das Ostras é subordinada ao 32º Batalhão. O policiamento segue normal nas duas cidades.
Os  parentes souberam da proposta da Prefeitura de Macaé de fazer o pagamento do 13º aos militares, porém, afirmam que vão continuar com o movimento até que as demais exigências sejam regularizadas. Além do 13º salário de 2016, eles também cobram o Regime Adicional de Serviço (Ras) olímpico, escala 12 x 48h ou 24 x 72h, salário pago até o segundo dia útil, meta de produtividade, acautelamento de colete balístico e pistola 40, cancelamento do fim do triênio e plano de saúde.
"As pessoas estão confundindo a nossa luta. A nossa luta não é só pelo 13º [salário]. A nossa luta é para o governo honrar o policial", afima uma manifestante.

O comando da PM em Macaé divulgou uma nota sobre a manifestação.
"Apesar da manifestação de familiares dos policiais militares na entrada do Batalhão, que teve início na noite desta quinta-feira (09), o policiamento na área do 32º BPM seguirá normalizado com a realização das trocas de turno e abastecimento fora da unidade. Neste momento é importante evitar o compartilhamento de mensagens que não correspondem a realidade dos fatos, e que colaboram para causar o pânico na sociedade."
Quanto ao pagamento do 13º aos PMs pela Prefeitura de Macaé, o prefeito Dr. Aluízio o prefeito Aluízio dos Santos Júnior confirmou que a iniciativa pode custar cerca de R$ 3,5 milhões aos cofres públicos do município. Ele revelou ainda que o reembolso seria cobrado futuramente ao Estado, ainda sem data definida. A proposta ainda precisa do aval do Estado. 

Do G1 Região dos Lagos
Postar no Google +

About Angel Morote

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE